sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Desapegar. Torcedor não conjuga esse verbo


Um dos ensinamentos budistas nos diz que aprender a viver é aprender a se desapegar.
Desapegar. Caminho para a santificação, o desapego. 
Por isso extremamente difícil para nós humanos de todos os séculos. 
Desapegar-se dos nossos, dos bens, de nós mesmo.
Exercício pouco exercido.
Mas, possível.
Possível em quase tudo. 
Exclua-se rapidamente, determinantemente a paixão pelo futebol.
Juramos abandonar, prometemos não ir mais ao estádio, não falar mais sobre esse assunto. Vamos desapegar. Mentira! Mentira não por ser mentiroso o torcedor, mentira porque é impossível.
O torcedor ama vencer. Mas acredita, erroneamente, que se apega as vitórias. 
Nas vitórias ele relaxa, goza e dorme.  
O torcedor não consegue se desapegar é nas derrotas. É nelas que enraíza sua paixão.
Porque nada é mais forte em nós humanos, do que a luta pela sobrevivência e o sentimento da esperança. Eles nos mantém acordados.
Nas derrotas e nas quedas a raiz que se encravou no peito daquele que torce, é adubada por um Deus arrebatador. Que não nos permite desistir, abstrair, fugir. 
Aqui somos expulsos do paraíso. Deus nos exige consciência alerta. Acordados .
Acordados porque fora do paraíso é preciso trabalhar. Voltar a vencer. Relaxar, gozar e dormir.
Desapegar. Torcedor não conjuga esse verbo. Aqui nunca aprendemos a viver.

5 comentários:

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Eu, como bom torcedor, não sou apegado. Sou encrustado ao Avaí.

Seu Cunha disse...

Torcedor realmente não desapega ao seu clube.
Mas os números não mentem,nossa média de público diz tudo e os motivos são bem óbvios.
O torcedor está cansando de ser o João Bobo dessa história.

Abraços!

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Para, Seu Cunha. Todo mundo já sabe disso. Acho que temos que começar a ir e que se danem as circunstâncias.

Kk de Paula disse...

Como já disse a Vanderléia ternurinha da jovem guarda:
"Por favor pare agora. Sr. Juiz pare agora".

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Hahaha! Fabulosa!