sábado, 28 de abril de 2012

O grito dos excluídos


Primeiro quando fomos pra primeira, excluíram a torcida.
Agora, enquanto estamos na disputa de uma semifinal, excluíram os jogadores.
O jogo em Chapecó deve rasgar, de uma vez por todas, todas as mascaras.
Derrotados ou vitoriosos veremos uma face.
A derrota vai nos mostrar o que está escondido.
A vitória vai mostrar a face de todos os Leões feridos.
Porque se os jogadores avaianos vencerem esse jogo, a vitória não será do Clube.
Será do time e da torcida.
A derrota será da atual direção do Clube.

Que perigo quando torcida e jogadores não reconhecem e nem respeitam mais, os dirigentes do seu Clube.
Uma cisão inaceitável.

Uma vitória nesse momento é possível por três motivos:
- os jogadores e a comissão técnica estão unidos;
- a torcida tem uma forte fé em Maria;
- tem gente lá em cima olhando por nós.
Se a vitória acontecer, pode apostar, houve intervenção sobrenatural. 
Os Avaianos que estão no céu azul e a nossa fiel torcida, conseguiram intervir fazendo “côsa” boa. 
Porque 'esse Avaí desses', anda fazendo “côsa” muito ruim.
Domingo vamos ver qual Avaí vai fazer "côsa".
Independente do resultado, o Clube vai ouvir o grito dos excluídos.

2 comentários:

Paulo disse...

"Que perigo quando torcida e jogadores não reconhecem e nem respeitam mais os dirigentes do seu Clube"

Seu Cunha disse...

Bela reflexão KK, parabéns.
Abraços!