terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Na sala da Paixão


Quando aceitamos exercer um cargo que está diretamente relacionado, amarrado, grudado e intrínseco a paixão sabemos que existe um tribunal sempre na ativa. Os advogados de defesa e os promotores estão sempre a postos. Jamais impediremos o ‘eterno' julgamento do futebol. Só se nos retirarmos da ‘sala da paixão’.
Muitas vezes queremos sair, mas a porta que auto emperra na saída está sempre escancarada na entrada.
Sair significa deixar na maçaneta a pele e na sala, a alma.
Flagelo da paixão.

Precisamos perceber que “defender o Avaí” não se deixa aprisionar pela concordância. 
Aqui, algumas vezes, a discórdia pode ser exercida como defesa.
Defensores e promotores tentam vestir a toga do juiz se justificando com paixão.
Mas se prestarmos atenção, nesse ‘tribunal’, o juiz é a bola e o júri a torcida.
Da bola nada escapa. 
Ela tudo vê, tudo sabe, tudo transforma e mostra.
O júri confia em seu julgamento.
E nela espera a sentença.
Ela determina: Inocentes ou culpados. 
(Aqui não existe um réu específico. Pessoa física)

Quando a bola começa a rolar/julgar advogados de defesa e promotores calam-se. 
Sua sina passa a ser a mesma dos  jurados. Torcer.
Agora com seu movimento, ela a bola, começa a responder todas as perguntas e dúvidas. 
Inclusive a pergunta “até onde vai a desfaçatez humana?” 
(que o blogueiro Carlos Aguiar, que eu admiro e respeito muito, fez ao final de seu último post
Essa pergunta complexa, como tudo que tenta desvelar o 'humano',  volta e retorna; sobe, desce, dá ré ou vai em frente. Tanto pode terminar na linha de fundo quanto num escanteio a ser cobrado.
Mas a bola no lance seguinte determina, elimina e desmascara.
Ao rolar ela vai desconstruindo o 'humano'.
Ela julga a frente e na frente do júri.
Sem desfaçatez.
(quem irá sair da 'sala da paixão'?)



2 comentários:

Larissa Poeta de Mello disse...

Muito bom post, Kk!
Realmente a bola é que revela tudo! De boas intenções (o que nem acredito que haja)o lado de baixo tá cheio.
Competência e campo tem sempre o mesmo fim.

Marcelo Silveira disse...

a Aproveitem e reformem o PLANO DE SÓCIOS que desde 2010 com os absurdos 95 reais dos 2 lados e 60 o minimo sem estudante, foi responsavel pelo esvaziamento completo da Ressacada, que de 13.500 sócios quando tinha valores justos passou pra menos de 6 mil hoje em dia. O plano de 2012 (50/70) ainda é valor de SÉRIE A, nao tem condiçao alguma de remediar 2 anos de elitizaçao. Para consertar o problema e chamar NOVOS sócios e os ANTIGOS que sairam, devem igualar as mensalidades com o JOINVILLE, sendo 45 reais o valor MAXIMO para uma Série B. 70 pra ver o ASA DE ARAPIRACA beira o absurdo, chega de explorar o torcedor. PLANOS COMPLETAMENTE REFORMULADOS PARA 2013.