terça-feira, 31 de julho de 2012

Quase...


Que pena, faltou elenco para segurar uma vitória fora de casa.
Um Avaí disciplinado taticamente, um lançamento milimétrico do nosso camisa dez para Acosta e abrimos o placar (e Acosta queimo a língua do corvo do sapato branco).

Mesmo perdendo Rodrigo Thiesen enquanto o jogo estava zero a zero e que novamente vinha fazendo uma boa partida, Maria conseguiu reorganizar o time em campo para o segundo tempo.
O Avaí se protegia bem na defesa saindo para o contra ataque. 
Acosta se movimentou bem na frente, mas continuamos sentido falta de um homem de área. 

Bruno fez falta. 
Diogo Orlando continua o mesmo.
Pirão também.
Julinho fez muito pouco, eu diria quase nada.
Fica numa faixa de campo onde não participa nem na defesa nem no ataque. 
As poucas vezes, duas eu acho, que deixou a preguiça de lado e apareceu na frente, levou perigo. 
Já na defesa, não funciona.

Carreirinha corre e não se esconde do jogo, mas falta qualidade.
Capixaba entrou. Nada de novo a declarar sobre esse atacante.
Tomamos o gol de empate numa bola cruzada na área, cabeçada mortal.
Diego mais uma vez, outra vez, fez uma excelente partida.

Quase vencemos, quase trouxemos William, quase trouxemos Marquinhos, quase trouxemos Tinga, quase trouxemos Marquinhos Paraná, quase...
Marcelinho Arroz Paulista para nos tranquilizar, disse em entrevista a rádio CBN-Diário após o jogo que "precisamos elevar o espírito desse grupo". 
Ave, Maria! 

2 comentários:

Diego Cordeiro disse...

Dá uma olhada no post do Fábio Machado:
http://fabioluizmachado.blogspot.com.br/2012/08/fabio-maguila-na-ressacada.html

Está sabendo de alguma coisa?
Parece que o Zunino não aprende mesmo, espero que seja mentira. Mas é bem capaz do Maguila estar "trabalhando" no Avaí por trás dos holofotes.

Kaká De Paula disse...

Está sim! Se leres o post "A mais coisas entre o céu e a terra", mais abaixo, onde eu mesma falo que foi o Maguila quem trouxe o Marcelinho Paulista para dentro da Ressacada.