domingo, 10 de outubro de 2010

Vida longa a torcida avaiana

O primeiro tempo avaiano foi "neguinho". Um neguinho querido com o flamenguista e assustador, para o Avaiano.
Eu venho insistindo aqui no blog, o Avaí com o atual elenco, não pode jogar com dois zagueiros.
Fomos presa fácil para o fraco rubro-negro, e só nos restava torcer para que o primeiro tempo terminasse.
E terminou. 2 a 0 para o Flamengo.

Para o segundo tempo o Avaí voltou com 3 zagueiros (será que ligaram para o celular do Neguinho?) e além disso, sentiu em sua alma o pulsar do coração avaiano que estava na ressacada.

Se alguém foi responsável por esse empate, esse alguém paradoxalmente tem vários nomes. Mas tem apenas um coração, o coração do torcedor avaiano. A camisa doze jogou, jogou muito. Um Avaí perdido, foi empurrado por essa apaixonada e fiel torcida. Um Avaí que perdia por 2 x 0 não ouviu uma vaia. Ouviu seu hino e foi chamado de Leão. "Vai pra cima deles, Leão!"


E o primeiro gol avaiano só poderia mesma ser marcado pelo capitão que nunca abandona o navio: Emerson. O gol do empate foi com certeza, uma homenagem do raçudo Roberto ao torcedor avaiano.

Mais um pouquinho sobre o jogo:
Pelo amor de Deus, deixar Emerson Nunes no banco?
Quem tem uma explicação sensata para isso?
Caio hoje não acertou um passe.
Gabriel, me desculpem a expressão, é um cagão. Volta Rafael!
Não chutamos uma bola em gol no primeiro tempo.
Não poderiamos, nossa meia cancha não entrou em campo.
Valber deu novo ritmo e a entrada do terceiro zagueiro, liberou nossos laterais.
Nossa meia cancha continua irregular, sem padrão de jogo, sem saber quem são seus titulares.
Chega de dodói.

Mas, agora chegou o Vagner Benazzi. Acho que esse cara vai jogar num esquema 3-5-2 ou 3-6-1 e claro, vai comandar os seus comandatos. Jogador joga, técnico escala. Isso é básico.
Série A não tem lugar para amadorismo, para apostas, para passadas de mão nas cabeças dos incompetentes.
Que esse ano termine nos dando a chance em 2011, de arrumar a casa e que essa casa ainda pertença a série A. A torcida avaiana merece.
Hoje ela comandou a reação e fez seu time jogar. Sozinha. Foi o torcedor avaiano que conquistou esse empate.

Outra coisa, jogando mal postando em campo, no esquema tático errado e ainda valendo gol de impedimento...o primeiro tempo de hoje foi assustador. Mas a voz da torcida, realizou um milagre e buscamos o empate.

Um técnico chegou. Assim como pedi ao Antonio quando ele assumiu o Avaí, peço ao Vagner:
- Tenha um time titular e jogue com três zagueiros.

E o que importa mesmo, é que a torcida avaiana tem vida longa. É eterna!

4 comentários:

Gilberto disse...

Kátia,
Obrigado pela visita em meu blog.
Ainda bem que o nosso Avaí faz coisas, então tenho fé que vamos dar a volta por cima. Até pq há quatro rodadas os que estão atrás não querem passar da gente. Então, é preciso agora jogar três finais consecutivas, contra três adversários diretos para a tão necessária permanência na série A.
Obrigado por adicionar/indicar meu blog. Se me permites listarei o teu bog, também.
Uma ótima semana!

Kk de Paula disse...

Claro, fica a vontade.
Teu blog é muito bom.

Cheiro de série B disse...

Ta feia a coisa, acho que demoraram muito prá trazer um novo técnico. Infelizmente acho que cairemos, tres jogos de seis pontos pela frente e não ganharemos nenhum, o jeito e se preparar pro ano que vem.. Porque acho que eles também não sobem, vai ter clássico na B... Buááááááá...
Um abraço, Kátia!

evefloripa disse...

Kátia, excelente texto. Você escreveu exatamente, o que penso e venho dizendo. Emerson Nunes não pode jamais ser reserva.