quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Saudade do futebol

O nosso time tem perdido tantos gols e vem tomando tantos gols bestiais esse ano, que escrever aqui tem sido um apelo diário ao meu coração apaixonado por futebol.
Venho transcendendo ao meu bom gosto, adquirido pelo belo futebol que já assistí nessa vida, para poder escrever sem perder a doçura e a fé no nosso Avaí. Avaí que colore o meu amor com duas cores.
Esse jogo e tudo que a bola pode proporcionar ao espetáculo, me faz fã incondicional desse esporte. Se bem tratada por pés que "pensam" e sabem o que fazer com a gordinha, a bola se eleva a categoria de Deusa.
Saudade dos craques. Deixo aqui um pequeno trecho de Armando Nogueira, publicado na Zero Hora em 31 de maio de 1991:

"Foi naqueles dias amargos que baixou em mim, certa vez, um tremendo acesso de melancolia. Que diabo, eu venho de outras eras. Sou dos tempos em que o futebol brasileiro sabia refinar sua técnica, elevando-a às culminâncias da arte: o drible era poesia, o passe era prosa, o chute era êxtase e o gol, delírio pleno." (Armando Nogueira)

Eu amo!
Eu te amo!
Eu te amo, Avaí!
Avaí!


2 comentários:

Rogério - Itajaí disse...

Imperdível!
Impagável!
Memorável!

ÚNICA!

KK!!!

Dás um banho, querida!

Kk de Paula disse...

Rogério, com esse elogio aí de cima, não vou parar de escrever nunca! hehehehhee! Obrigada pelo carinho.