quinta-feira, 8 de junho de 2017

Dor e esperança em Minas

Foto: globoesporte.com

Muito difícil e doloroso para o torcedor aceitar dois tipos de derrotas:
1) por interferência da arbitragem e/ou
2) quando o time joga bem

No primeiro jogo desse brasileiro o Avaí, mesmo não jogando bem, deixou de vencer por um erro de arbitragem bizarro demais e no jogo de hoje, um Avaí mais bem postado na meia cancha; mais criativo e mais pegador e por isso mesmo com mais chances criadas para marcar (coisa que não vinha ocorrendo até então), foi derrotado jogando bem e cometendo apenas um erro defensivo.  
Um pecado!
É doloroso perder jogando bem ou sendo roubado.
Mas a derrota de hoje, jogando bem, trouxe consigo Ela: a Esperança.

Hoje com uma meia cancha jogando com Luan, Simião, Juan e Marquinhos jogamos bola em Minas, e Capa voltou a aparecer muito bem no ataque. Faltou ao nosso time aproveitar suas chances (Vitor foi o melhor em campo pelo Atlético) e mais uma coisa: faltou um centro avante, um homem de área, um camisa 9 de ofício.
Fizemos nossa melhor partida e não vencemos pela falta de força ofensiva e por nos faltar um banco mais qualificado para um série A.

Bola pra frente, sem o 'dançarino' que pediu pra sair (Denilson: danças muito mal), na esperança de que chegue na Ressacada um camisa 9. 
(Alemão falhou no cruzamento, Maurício quis defender com os olhos e Fred marcou: 
Atlético MG 1 x 0 Avaí) 

Nenhum comentário: