quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O Conselheiro consciente

Sou conselheiro do Avaí, neste “mandato”, há aproximadamente dois anos (já o fui em oportunidade passada, também pelo mesmo período aproximado). Confesso que me dirigi à Ressacada na noite desta terça-feira com “borboletas no estômago”. Sabia que naquela oportunidade definiria a minha sensação comigo mesmo a respeito do papel de conselheiro, algo que, a mim, definitivamente, não ficou bem resolvido durante o ano de 2010. E explico:

Sou dos que votaram a favor, naquela oportunidade, do novo plano de sócios, e o fiz com base em algumas premissas básicas: Sou absolutamente leigo no assunto; tinha conhecimento vago dos números envolvidos no que diz respeito à receita, despesa e planejamento de mercado exercido até então pelo clube; e, principalmente, sentia-me na obrigação de dar um voto de confiança a uma diretoria que até ali tinha demonstrado aprender com erros.
(Adir José da Silva Júnior)

Para ler  na integra o relato desse conselheiro publicado pelo Blog Avaixonados, clique aqui.
Serão 3 post, o primeiro já está publicado nos Avaixonados, o segundo será publicado às 16 horas e o terceiro, às 20 horas. Acho que vale acompanhar esse sincero relato do Adir Júnior.

2 comentários:

alexandre disse...

Nem sao tomé,vendo pra crer, eles viram quase cairam e nao mudaram,senhor eles nao sabem o q fazem.futebol tem q ter um lugar pro povao ,atras da trave dificil de ver gols do lado oposto na chuva, 40 reais tava muito bem pago por mes. a torcida do avai nao é feita só de magnata zunino!

Kk de Paula disse...

Exatamente como penso. Na ressacada tem que haver um espaço para ingressos populares.