segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Santos, Assim seja!

(Foto: Eduardo Valente/ND)

É bom e fácil enaltecer quando o jogador nos dá a vitória;
nos coloca faixa no peito;
lances e lançamentos de craque;
gols decisivos;
acessos inesquecíveis.

É impagável ver o ídolo dançar na casa do adversário;
marcar um golaço por 'cobertura' no maior rival;
chutar o pau da barraca nos defendendo;
dar a cara pra bater quando todos se calam.

É inesquecível ver a lágrima escorrendo no rosto do jogador
quando ele conquista por nós;
quando ele perde conosco;
quando ele se faz feliz nos fazendo felizes.

É desumano esquecer que Ele é humano;
que ele é nosso;
que ele sempre será nosso;
que ele é de carne, osso, pele e sangue azuis;
que ele somos nós ( em campo e nas arquibancadas)
errando, acertando, xingando, sofrendo, comemorando, chorando, sorrindo, ajoelhando e rezando: Santos, Assim seja! 
(Foto: Eduardo Valente/ND)

4 comentários:

Everaldo disse...

Bom dia KK,
Onde fosse aranjar tantos verbos! KKK, para justificar o penalte mau cobrado do Marquinhos.
Penalte bbem cobrtado é aquele que entra.
Everaldo.

Kk De Paula disse...

Se tu consegues definir e conceituar Marquinhos Santos num pênalti perdido... estás lendo o blog errado!
Quanto a pênalti bem cobrado é o que entra, obrigada por me avisar. Que novidade!!!

ney.lf disse...

KK

Tem gente que estava esperando somente um erro do Marquinhos para transformá-lo em cristo.
São uns doentes de memórias curtas que não admitem um jogador ter voz ativa e se insurgir contra o seu chefe, se é que me entendes, nunca vão perdoa-lo por isto e, na primeira oportunidade, caem de pau sobre ele colocando pra fora todo os recalques que possuem na vida.
Fica evidente o ranço, a angústia, o recalque pois até o jogo do Joinville no campeonato não citaram o nome do Marquinhos em momento algum, nem para criticá-lo nem para elogiá-lo o que seria pedir demais kkkkk
Deixa esta turma de zé ruela ingrata pra lá e vamos que vamos, com Marquinhos, o maior ídolo da nossa história, em campo.
Prefiro um jogador parado em campo, porém inteligente, impondo respeito dos adversários e sabendo o que faz com a bola do que estes corredores de maratona sem cérebro.

Ney Lúcio Félix

Kk De Paula disse...

Assino embaixo, Ney! Vamos que vamos, Marquinhos!!!