quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Carta aberta do Grupo Avaí MAIS forte




Avai MAIS forte - Carta aberta:

"Torcedores, sócios e conselheiros do Avaí Futebol Clube.

Somos um grupo de avaianos, ex-dirigentes, sócios e conselheiros do Avaí Futebol Clube, e viemos a público nos apresentar como chapa em formação para a disputa das próximas eleições para a composição do Conselho Deliberativo do clube.

Convocamos a todos aqueles que, cumprindo os requisitos exigidos pelo Estatuto do Avaí Futebol Clube em vigência (um ano no mínimo de associação, 18 anos de idade e estar em dia com as mensalidades do clube) e se identificando com as razões e propostas que apresentaremos, venham a compor a relação de candidatos a ser registrada ou, mesmo, dar-nos seu voto.

Como é de conhecimento de todos, embora o processo de reformulação do Estatuto do Avaí Futebol Clube tenha se iniciado pela atual composição do Conselho Deliberativo do clube, as tratativas se deram com vagar que, consideramos – e sem entrar no mérito das razões para tanto – excedeu o razoável para o seu término e apresentação à Assembleia Geral, órgão máximo do clube. Isso implicou, lamentavelmente, a necessária adoção dos parâmetros do Estatuto atual para o processo eleitoral que se aproxima.

Sendo assim, entendemos que todas as discussões deste processo devem se dar, prioritariamente, em torno da formação de um novo Conselho Deliberativo. Entenda-se como novo não um rol diverso de nomes que o componham, mas um Conselho Deliberativo diferente em sua forma de atuar do que tem se apresentado nos últimos anos.

Entendemos que nenhuma instituição que obedeça parâmetros democráticos – e não conseguimos visualizar instituições modernas sem que se obedeça a estes parâmetros – pode deixar de ter um espaço de ampla discussão abrigando todas as opiniões e visões de seus integrantes, por mais divergentes que sejam.

Entendemos, ainda, que este espaço de discussão deve se constituir em centro irradiador de propostas de mudança, de avaliação das medidas adotadas pelos outros órgãos da instituição e, principalmente, de fiscalização rigorosa, contínua e eficaz, de todos os atos onerosos e/ou relevantes para a vida do clube. O Conselho Deliberativo deve ter intensa participação de seus integrantes, que apenas por razões plenamente justificáveis possam se afastar de suas obrigações de conselheiros.

Pois bem. Não é este o papel que, entendemos, vem sendo cumprido pelo Conselho Deliberativo do Avaí. Há alguns anos o órgão tem se demonstrado pouquíssimo eficaz em sua atribuição estatutária, convertendo-se em mero chancelador das políticas adotadas pela Diretoria Executiva, que, em razão disto, passou a atuar de forma centralizadora, o que afastou os conselheiros das decisões nucleares da vida do clube.

A própria conformação do Estatuto atual não comporta participação mais ativa, seja pela composição não paritária (número de conselheiros proporcional ao número de votos de cada chapa), seja pelo esvaziamento das atribuições do Conselho, seja, ainda, pela falta de uma definição clara de regras e procedimentos para suas deliberações.

De modo a promover o necessário debate neste processo eleitoral, assim como com o intuito de apresentar uma alternativa ao atual modelo, apresentamo-nos, de “portas abertas” a todos os que tenham o interesse em ver um Avaí mais forte, profissional, moderno, democrático e, sobretudo, TRANSPARENTE.

Para tanto, propomos algumas medidas das quais assumimos o compromisso de não nos afastarmos em hipótese alguma, valendo este documento como nossa efetiva fiança. São eles:

- Compromisso de apresentação de minuta de novo Estatuto à Assembleia Geral no prazo máximo de seis meses a partir da posse do novo Conselho Deliberativo, contemplando, no mínimo, os seguintes itens:

- Eleições diretas para Presidente do Clube;

- Alteração do sistema de responsabilização dos dirigentes, privilegiando a responsabilização pessoal por dívidas contraídas em nome do clube, em casos de gestão temerária, má-fé ou extrapolação da autorização da peça orçamentária;

- Composição paritária (proporcional ao número de votos das chapas) no Conselho Deliberativo;

- Endurecimento das regras referentes à participação dos integrantes do Conselho na reunião, visando a aumentar a participação dos conselheiros nas reuniões;

- Profissionalização da administração do clube de modo a promover a necessária desvinculação da pessoa dos dirigentes dos desígnios do clube, com as finalidades de dotar o clube de estrutura suficiente para que possa se sustentar sem recorrer ao auxílio financeiro de dirigentes e de dar perenidade às suas instituições e às suas políticas administrativas;

- Amplo e estruturado sistema de divulgação e transparência de todos os dados de interesse dos sócios e conselheiros, como, por exemplo, a divulgação mensal do balancete e contratação de auditoria externa periódica pelo Conselho Deliberativo, de modo a dotar-lhes de informações suficientes para que sejam, cada um, efetivos fiscais da sanidade administrativa e financeira do clube;

- Aprovação prévia do Conselho de operações de crédito, vendas, empréstimos e atos onerosos que representem importante movimentação do patrimônio do clube ou que ultrapassem o mandato da diretoria contratante;

- Aprimoramento dos sistemas de comunicação do clube para o resgate da identidade da torcida com o clube;

- Continuidade do trabalho de resgate histórico promovido pelo Clube.

- As regras atuais do processo eleitoral implicam a eleição de chapas integrais. Ou seja: se uma chapa for a mais votada, ela vai compor sozinha o Conselho Deliberativo. Entendemos que isso afasta a possibilidade de oposição e contraponto de ideias dentro do Conselho. Por isso, de modo a promover uma “burla positiva” às regras atuais, nós nos comprometemos a reservar, dentre as cadeiras restantes para o preenchimento das 300 vagas do Conselho Deliberativo, um número de cadeiras proporcional ao número de votos das chapas eventualmente derrotadas, de modo a, mesmo antes da alteração do Estatuto, o Avaí Futebol Clube tenha um Conselho Deliberativo plural e democrático.

- Entendemos que a participação no Conselho Deliberativo deve ser mais aberta e acessível aos sócios e torcedores do Avaí Futebol Clube, o clube mais popular de Santa Catarina. Propomos, então, a redução no valor da mensalidade para conselheiros, com equivalente redução de benefícios nesta modalidade de associação.

- Propomos também que os direitos dos conselheiros sejam mais próximos aos dos sócios. Entendemos que o conselheiro já possui alguns direitos extras por força do Estatuto, como o de voto nas reuniões, não sendo necessário que seja tratado de modo diferenciado em relação a outros sócios.

Ressaltamos que pretendemos discutir ideias e não pessoas. Discordamos substancialmente do que é praticado atualmente em pontos que, entendemos, são essenciais à condução do Clube e que, no ver do grupo que subscreve este documento, não vêm sendo geridos da forma mais adequada.

Convocamos, então, todos os que se identificarem com estas ideias a integrar a presente chapa e participar das discussões que se seguirão.


Saudações Avaianas."

3 comentários:

fernando moacir sagas disse...

Não era a hora, tem que haver uma oposição, mas essa não era a hora. Falta tão pouco para voltarmos a série A e derrepente aparece uma oposição mudando todo o foco. Acho eu que deram um tiro no pé.

Anônimo disse...

E a redução das MENSALIDADES? que talvez seja o erro mais CRASSO e ABSURDO dessa atual gestão, que iniciou em Janeiro de 2010 quando destruiram COM LOUVOR um quadro de 13 mil sócios em pleno auge (Sra. Otília Pagani e cia.) enfiando a força mensalidades R$ 95,00 na social oposta tentando criar uma espécie gêmea da antiga (queriam dois setores do amendoin que ninugém no país tem) sem demanda e sem estudo algum. Meu setor aumentou 40 reais em 1 mês. A partir de 2012 reduziram pra R$ 70,00 em Série B achando que ia resolver algo, ledo engano. É o mesmo valor que os sócios do Criciúma pagam na Série A. Temos 4 mil sócios adimplentes apenas, pois óbvio, a torcida da sua resposta não se associando, o valor é patético. O Joinville cobra R$ 48,00 por mês em qualquer lugar da Arena e tem 10 mil sócios. O Avaí fica esperando o milagre da associação em massa, que não acontece. São valores definidos por puro chute. Temos 5.154 cadeiras nos setores CDE e segundo sei, cerca de 1.700 associados lá apenas. Nem metade. Então por que não tentar ganhar DOIS TORCEDORES naquele setor por um valor de R$ 55,00 por mês por exemplo, como era em 2009, quando mal e porcamente lutam pra ter um pagando R$ 70,00? um valor que custa a manter um sócio antigo e é NADA ATRATIVO pra conquistar um novo? Nem digo nada das mensalidades descobertas que tem um valor OFENSIVO pro seu custo benefício, deveriam custar NO MÁXIMO R$ 40,00 por mês, SE QUISESSEM que ela fosse bem povoada, o que não é. A visão do jogo é péssima, é distante do campo, e ainda pega chuva. Tá mais caro que o melhor lugar da Arena Joinville, no meião. Bom, nem sei porque estou falando disso, visto que a quantidade ÍNFIMA DE SÓCIOS atuais por si só já explica o quanto este plano atual é fraco, feito nas coxas, sem estudo e sem demanda. A PRIMEIRA COISA É BAIXAR TODAS AS MENSALIDADES PARA 55/40 (valores MASSIVOS, que criam demanda e consigam abranger todas as classes de torcedores ao invéz de restringir) como faz este plano RIDICULO de 70/50, que fecha o clube pra meia duzia de sócios. Façam isso para COMEÇARMOS A SONHAR com a possibilidade de ter 8 mil sócios em 2014, ou se preparem para outro ano de promoções pra encher o estádio. Marcos

Kk De Paula disse...

Fernando, as eleições segundo o estatuto do Clube, precisam ser feitas até 20 de novembro no máximo. Para conseguir nominata de 100 nomes ao conselho e para a chapa se articular era preciso começar já.