domingo, 30 de setembro de 2012

'Carma' de quem veste o manto




Em um de meus post escrevi que o torcedor quer falar sobre o jogo.
Derrota, empate ou vitória é sobre a partida que a língua que veste uma camisa externa a sua paixão, é assim que tem de ser sempre.
'Carma' de quem veste o manto.
Jogar/Torcer.
Quando da saída do Maria lamentei, profundamente, por reconhecer nele um belo técnico.
Paixão!
Mas disse, também, que Argel vinha para trabalhar.
Razão!

Assim como a nossa sina é torcer, a do técnico é nos convencer.
E Argel nos deu folego para continuar na disputa.
Em campo, onde a bola rola, técnico e jogadores podem nos trazer a tona.
Tem mais jogos.
Que Argel (chegou para substituir porque também é técnico e foi escolhido pela direção), possa ao final da disputa entrar para o seleto hall dos homens que fazem parte da história Avaiana. 
Alguns, dentre os seus jogadores, já fazem.

Maria nos deu o estadual.
Quando muitos "Joãos" já haviam desistido.
E isso é verdade, não há delírio aqui.
Conhecimento!
Argel por enquanto nos deu um folego que pode sim, nos trazer a tona.
Paixão! A irmã da esperança.
Mesmo quando o Clube "machuca".

Avaí em campo. 
Todo o meu corpo e espírito, principalmente minha língua e minha alma, vestem a camisa e se deixam levar.
Minha paixão é o Avaí.
Vitória, empates e derrotas.
Quem me dera escrever somente sobre a paixão que esses resultados me provocam.
Nem sempre tem sido assim.
Mas nem por isso e nem por nada disso ou pelo nada que vem disso, o meu todo deixa de ser Avaiano.
Eu vou sempre urrar!

sábado, 29 de setembro de 2012

Leão acorda, urra e chama os descrentes

Foto: Flávio Neves - Ag.RBS

A vitória é nossa.
Um jogo que recobra o folego do nosso Leão.
Argel nos deu ar.
(Eu particularmente havia ficado sem respirar com a saída do Maria e do Cléber)
E a torcida que esteve na Ressacada abriu o pulmão do time.
É assim que o Avaí joga, é assim que o Avaí é.
Raça, transpiração e força.
Estamos no campeonato, ele ainda está sendo jogado.
O espírito da camisa 12 tem que vestir outra vez a ressacada e os jogadores que vestem as camisas com todos os outros números.
Argel fez isso com seus comandados.
Agora jogo aqui é com a gente.
Presença é a sentença da nossa vitória.
Lá fora o comandante vai estar á beira do gramado urrando na orelha dos caras.
Nada está ganho, mas todo o resto está em disputa.
O melhor em campo?
(Posso parecer louca... Fico na aparência mesmo. Eu sou. Sou filha de goleiro)
Moretto.
E o signo do Leão? É gêmeos!
Quando tudo parece que... 
Em campo o Leão acorda, urra e chama os descrentes a luta.
Vamos juntos!
  

Te arranca!



Sem mais delongas, turma.
Se tu queres curtir hoje o nosso DNAzul, só tem um lugar pra ir.
RESSACADA.
Te arranca!!!
Te arranca, ixtepô!

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

"Ninguém cala esse nosso Amor"

O despertar do gigante adormecido


Como é bom escrever sobre a paixão que tenho pelo jogo.
Meu coração sempre tenta ditar por onde meus dedos se deslocam no teclado.
É sentar e deixar que as batidas futebolísticas do meu coração escolha a letra digitada.
Todos os torcedores são assim, querem falar sobre o jogo.
Mas chegaram os ‘novos tempos’ na moderna Floripa.
Arrastando o velho e mágico futebol para os porões dos negócios escusos.

A extinção do opio vai despertar o 'gigante adormecido'.
O torcedor.
Agora ele precisa e tem que fiscalizar, montar guarda e agir com a razão.
Quem dita o teclado que o torcedor comprime nesses últimos anos não é mais a paixão.
Agora o gigante ama!
Amor maduro.
Ou colocamos a nossa ‘aliança’ no Clube, ou deixamos que ele tenha como parceiro qualquer um.

Difícil deixar a cega paixão partir.
Mas é necessário amadurecer, jovem torcedor.
Amar!
O parceiro pra toda vida somos nós.
Sempre foi.
Até que a morte nos separe.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

E na Ressacada?

Precisamos sacudir e fazer voltar a tremer a nossa Ressacada. "Ispia" isso: AGORA "ISPIA" NÓS:

Divisor de águas

Foto: Alceu Atherino


Argel tem novas opções para o jogo de sábado.
Têm os dois jogadores que chegaram do Flamengo, Tiago Medeiros e Eric Flores; têm o zagueiro Fred e dois retornos. Cléverson e Fábio Santos.
Durante essa semana com os treinamentos, nosso técnico vai poder escolher os onze de acordo com o que está vendo e claro, a maneira que deseja ver o Avaí atuando.
Cabe ao grupo decidir o tamanho da vontade com que vai atuar no restante desse campeonato.
E o jogo contra o Vitória pode ser o divisor de águas nesse sentido.
Nele vamos poder observar como vai atuar o time do Argel.
Vamos ver o que Argel acrescentou essa semana ao jogo avaiano e o que o grupo decidiu fazer com o campeonato que disputa.
Nossa situação é complicada na busca do G4.
Isso a gente já sabe.
O que a gente ainda não sabe, é o que Argel e seus comandados podem fazer sábado e nos demais jogos.
A nós cabe estar na Ressacada.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Sábado de alma Avaiana


Nesse sábado vamos enfrentar o líder do campeonato.
Jogo que pode ter a cara do Avaí.
Pra isso acontecer precisamos de duas coisas:
A ressacada lotada e os jogadores lutando como leões.
Assim teremos um coliseu pronto pra reagir a cada ataque dos nossos.
Esse espírito que sempre esteve encarnado na alma que todos nós emprestamos ao nosso estádio e aos nossos jogadores.
A alma Avaiana não se macula, não morre nunca.
Sendo assim, precisamos voltar a estar presente no nosso lugar.
No estádio onde onze jogadores em campo vestem a nossa camisa.
Se eles forem guerreiros, saberão responder em campo com espírito Avaiano.
Isso só nós podemos entregar a eles.
Argel que faça o seu trabalho.
E os jogadores que joguem como torcedores.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Nas ondas do rádio


Evando se emociona ao ouvir seu gol narrado por Salles Júnior
Foto: Debora klempous

Tem uma onda que eleva, ampara e torna ainda mais mágica a minha paixão pelo futebol, são as ondas do rádio.
A narração de um jogo de futebol embebeda o coração com mais sangue azul.
Dispara as batidas a cada detalhe exagerado (como tem que ser) que chega ao meu cérebro  pela voz do outro lado.

O rádio dorme e acorda comigo.
Aconchega-se em baixo do meu travesseiro e com suas ondas e vozes diversas, fala comigo até eu perder a consciência e pela manhã, me acorda em plena consciência do seu poder.
Nos dias de jogo necessito, preciso estar ligadinha nele.
Mesmo no campo ou pela televisão, são nas ondas do rádio que eu deixo comandar a minha louca paixão.
Sendo hoje o seu dia, escolho a voz que me emociona e que me faz cada dia mais apaixonada por suas ondas e por meu time.
Salles Júnior.

Míssil lançado na Ressacada



Confesso: eu estava morrendo de vontade de voltar a postar um vídeo do nosso time.
Bem, já que o gol do Pirão foi eleito no Programa Linha de Passe da ESPN-Brasil como o gol mais bonito da rodada, eu me animei.
Realmente o gol merece ser visto e revisto.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Belo trabalho




O gramado do estádio da Ressacada recebeu na tarde desta segunda, dia 24, a visita de 50 crianças do NEI São João Batista, do bairro Rio Vermelho, em Florianópolis. Os visitantes de cinco e seis anos conheceram o estádio de propriedade do Avaí. Puderam jogar bola e correr pelo gramado.
Durante a visita Dona Nesi, diretora de Ação Social, Comunitária e de Filantropia, ofereceu um lanche especial. Todos receberam sanduíche, com queijo e presunto, além de uma achocolotado (Nescau) e suco natural. A visita faz parte do projeto Paz e Harmonia no Futebol, mantido pela ASSTA Associação Social e Cultural dos Torcedores do Avaí.

Nota da blogueira:
Como sempre mais um belo trabalho da Dona Nesi e da ASSTA.
Motivo de orgulho para todos os torcedores Avaianos.

Fonte: Site Oficial do Clube
Foto: Alceu Atherino

Os leões e um galo


Abaixo, trechos da entrevista do Presidente ao jornalista Matheus Joffre do jornal ND.

Desde o ano passado, da época do (ex-treinador Alexandre) Gallo, do Luís Alberto (empresário da LA Sports, ex-parceira do Avaí), tivemos um prejuízo enorme.”
O Gallo trouxe 15 jogadores e esculhambou a estrutura inteira, desequilibrou o clube financeiramente.”
“...depois da passagem do Gallo ficou um buraco na nossa contabilidade.”

A escolha pelo Argel (Fucks, ex-treinador do Figueirense) não partiu de mim. Tenho que levar em conta a decisão do Conselho, da diretoria. Tínhamos outros nomes como Adilson Batista, Falcão, mas o Argel tem uma afinidade muito grande com o Marcelinho.”

Nota da Blogueira:
Presidente,
Tudo isso aconteceu e está acontecendo na sua gestão.
Erros? Acontecem claro. Mas o gestor e a sua diretoria devem se manter a frente dos negócios; devem estar ciente de como e onde o dinheiro do Clube está sendo aplicado. Quanto é viável e bom para o Clube á negociação de compra e venda de jogadores. Contração de gerentes e técnicos.
Estudar os contratos é regra básica antes de assina-los.
Tanto com empregados, quanto com parceiros.
A escolha do técnico passa necessariamente pelo gerente de futebol, diretor de futebol, parceiro e presidência. E os jogadores que eles pedem pra contratar tem que ter o aval do Clube, assim como os que são dispensados.
Quanto á escolha do Argel, que bom saber que a presidência levou em “conta a decisão da diretoria e do Conselho” e também levou em conta a afinidade do técnico com o gerente de futebol escolhido pelo senhor. Ótimo!
Porque confesso que diretores e conselheiros reclamaram pra mim, sim pra mim, que não sabiam de nada sobre a venda do jogador Cleber e muitos menos sobre a demissão do Maria.
Esperam que eles já saibam como um ‘galo’ sozinho “esculhambou” a casa que deveria estar sendo administrada por vários ‘leões’.

Uma pergunta, porque perguntar não ofende:
- Adilson Batista, Falcão? Cléber Santana e Renato Santos não foram vendidos para sanear as dívidas do Clube? Adilson Batista e Falcão ganham menos que Maria? Fucks!

domingo, 23 de setembro de 2012

"Não partiu de mim a negociação" CS10



Nos post abaixo, eu peço que alguém da imprensa faça uma entrevista com Cléber Santana.
Pois no Bate Bola da TVCom desse domingo, o jornalista Rodrigo Faraco colocou no ar uma entrevista exclusiva com o nosso camisa 10.
Cléber explicou que sua saída se deu por um acordo entre os Clubes.  
Uma recompensa financeira que dará uma tranquilidade até o final da temporada para o Avaí.” – afirmou o jogador.
Disse que não partiu dele a negociação, mas por ser um bom negócio, principalmente para o Clube, ele aceitou.
Agradeceu ao Carlos Arini e ao Presidente pela sua vinda, e a torcida avaiana por sempre estar ao seu lado. Disse ainda que continua torcendo pelo nosso acesso e que viu o jogo na sexta contra o Guaratinguetá.
Chamou-me atenção uma frase que ele começou mais não terminou:
- “O presidente me disse que se a negociação não acontecesse...
Uma pena que o Rodrigo Faraco não percebeu que ele parou sem concluir o que iria dizer, e também lamento não ter sido perguntando por que ele não compareceu a coletiva.

Raias da loucura


Como manda a vida, pulsada bravamente pelo espírito da sobrevivência, o importante é seguir em frente.
Mas é inteligente seguir em frente sabendo por que algumas coisas, que ficam pra trás, não deram certo. Por que não foram positivas, ou por que nos foram omitidas e por isso nos incomodam.
É crucial seguir em frente, mas é necessário manter iluminada também a “poupa” não somente a “proa”.
Vida que segue no nosso Clube.
Mas eu gostaria muito de saber como e por que, Cléber Santana foi convencido a nos deixar e principalmente, por que não aconteceu a sua entrevista coletiva. Coletiva que estava prevista para depois da coletiva do nosso Maria.

Chego a imaginar, pelo caráter do homem que vestiu a nossa camisa dez, que a dupla que o negociou chamou ele e disse:
- Precisamos concretizar essa negociação pra poder colocar em dia os salários atrasados dos teus companheiros de Clube e dos funcionários.
E continuando na minha livre e solta imaginação, ouço Cléber responder:
- Se for assim eu aceito, mas quero poder dizer isso para a torcida. Que estou saído porque a minha negociação coloca em dia os salários atrasados.
Claro, isso é somente a minha imaginação trabalhando doentiamente para satisfazer a minha frustração.
A coletiva do jogador se tivesse existido me pouparia de tal exercício delirante.

Por que Cléber não se despediu de nós?
Ele estava no Clube, voltou do Rio para dar á coletiva, para falar com nós, torcedores.
Mas será que existe algum jornalista que vai até o Rio pedir uma entrevista com ele e a gente possa ficar sabendo o porquê do ‘sim’ ao Flamengo e o motivo da sua ausência na coletiva?
Será?
Vida que segue.
É!
Mas que a nossa vida, em relação ao nosso Clube, a cada ano nos deixa mais e mais sem respostas para muitas perguntas, é realidade pura.
Então minha imaginação vai ás raias da loucura.

Sangue Azurra no Bate Bola da TVCom




Recado do nosso amigo Rodrigo Silveira do Blog Sangue Azurra:



"Hoje estarei participando do programa TVCOM esportes na TVCOM juntamente com o treinador do AVAI Argel Fucks. Assim como todos sou um simples torcedor de arquibancada que terei a oportunidade de questionar alguns assuntos relacionados ao futebol do AVAI.

Será um prazer enorme falar desta paixão chamada AVAI FUTEBOL CLUBE  e poder representar o torcedor avaiano, espero que com minha participação eu possa sanar várias dúvidas que existe na cabeça do torcedor azurra."

Nota da blogueira: Vou estar ligadinha, Rodrigo.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Ele iluminou o Pirão




Vencemos!
Era isso que nós queríamos;
Era isso que o grupo necessitava;
Era isso que Argel precisava.

Pouca torcida, pouco futebol, pouca inspiração e muita transpiração tanto dentro quanto fora do campo.
Mas quando a torcida fez ouvir sua voz pedindo Evaaandoooo, Evaaandoooo, Evaaandooo...
Bastou ele entrar em campo para se realizar o desejo do gol.
Num chute de pura iluminação do Pirão, a rede balançou.
Como se o espírito da Ressacada tivesse acordar do cochilo.
E eis que ele, Evando, é procurado pela bola.
Cansada dos jovens e inoperantes atacantes avaianos, ela se oferece aos pés do jogador que teve seu nome chamado pelo torcedor.
Passaram-se três anos, e o nome que ainda pedimos pra entrar no ataque é o do Iluminado.
Vencemos!


Eu vou ao jogo!


Estreia do Argel.
Primeiro jogo sem o nosso Maria.
Vencer o Guaratinguetá em casa não deve ser tarefa difícil, mas com os últimos acontecimentos, cabe a nós torcedores ir a campo e incentivar os nossos jogadores. É a nossa camisa que estará em campo.
Argel aceitou o emprego oferecido.
E claro, vai trabalhar para mostrar o seu valor.
Chega num momento de extrema turbulência pela saída de dois jogadores titulares, sendo que um era o craque do time, e chega para ocupar a vaga de um técnico que soube mostrar sua qualificação e caráter enquanto esteve no comando Avaiano.
Que nós torcedores temos o direito de manifestar nossa indignação por essas perdas, é inegável. Mas não podemos ultrapassar as regras do bom senso, do respeito ao nosso patrimônio e a qualquer cidadão.
Eu vou ao jogo. 
Vou para torcer pela vitória, mas vou manifestar com seriedade e bravura, as minhas indignações em relação ás últimas decisões do departamento de futebol do Clube que estão sendo respaldadas pela presidência, diretoria e conselho.
Não podemos e não devemos abandonar o nosso Clube e muito menos ficar indiferentes com atitudes que não concordamos.
"Ninguém cala esse nosso amor."

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Nação Azurra


Nação azurra, àqueles que estiveram ao meu lado, volto a dizer: não abandonem o clube nesse momento de dificuldade porque nesse momento é que os jogadores precisam de apoio. Venham na sexta-feira, apoiem esse grupo de jogadores que são homens e que vão fazer esse clube voltar ao lugar de onde nunca deveriam ter saído - pediu Maria na sua coletiva de despedida, ontem na Ressacada. (Fonte: Infoesporte)

Nota da blogueira: Que grandeza de caráter. Dizer que o nosso Clube despediu, deixou ir, mandou embora um profissional dessa extirpe. No futebol, atual, quase em extinção.

Pra descontrair

Foto original de  Ricardo Wolffenbüttel / Agencia RBS


Desde 1923




Sexta nosso time estará em campo.
Onze homens no gramado estarão vestindo a nossa camisa.
Esses onze nos representam cada vez que vestem o manto Avaiano.
A nossa camisa.
Sim, a camisa é nossa desde 1923.
É ela, nas cores azul e branco, que nós torcedores vestimos com orgulho pelo escudo no peito que simboliza a nossa história, externando a alma Avaiana.
Camisa, escudo e bandeira.
Símbolos materiais carregados de história.

Alma, sangue, raça e glória.
São essas as qualidades da paixão infinita que os nossos símbolos vestem.
Os onze do campo podem esquecê-los ao final de cada jogo ao tirar a camisa.
Nós não!
Em nós a memória reveste como aço o nosso DNA.
Alma, sangue, raça, glória e história dão vida aos símbolos.
Sexta, vamos pra nossa casa.
Quem ama cuida!

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Maria: O Apaixonado


A paixão pelo futebol parece, de uns anos pra cá, que só fincou suas raízes na alma do torcedor.
Somos, e devemos continuar sendo, crianças quando se trata dessa paixão.
Nos comportamos com a alma daqueles que esquecem, em menos de cinco minutos, a palmada que os fez chorar.
Choramos e xingamos com a intensidade destemida e desavergonhada de quando tínhamos 5 anos.
Mas como disse acima, essa paixão fincou raízes em nós. Os dirigentes, jogadores e técnicos a muito amadureceram e cada qual, trata as coisas do futebol com uma razão recheada de cifrões.
Por isso ter no Clube um técnico que chora ao se despedir, como nós torcedores  quando somos derrotados, é privilégio de poucos.
Ver Maria emocionado ao se despedir do nosso Clube confirmou o que nós torcedores já sabíamos. 
Ele é um apaixonado infantil. 
Ele é um técnico que esqueceu de amadurecer a sua alma. 
E mesmo assim, soube provar pra todos que é um profissional de primeira grandeza. Um menino estudioso e sincero, um corajoso e destemido amante do futebol. 
Porque seu intelecto é de um homem com caráter invejável.
Não perca sua grandiosidade infantil, Maria.
Porque no teu trabalho tu só tendes a crescer e ampliar as tuas conquistas.
São homens como tu que nos permite acreditar que, nesse esporte, ainda existe profissionais apaixonados por ele.
Que todas as crianças Avaianas possam ver o que disse e como disse, o nosso técnico na despedida dessa tarde.

Ontem a noite quando eu 'tuitava' chamando á torcida para ir a Coletiva, um seguidor me respondeu dizendo que isso só poderia ser coisa de uma pessoa que está na puberdade.
Não, não era! É coisa de criança mesmo.

Ave, Maria!

Foto: Kk de Paula

Eu, meus amigos Deividy e  Rafael do blog VidAvai, chegamos ao Clube e passamos sem ser barrados pela recepção. Acho que porque eu carregava comigo uma máquina fotográfica, a recepcionista achou que eramos jornalistas.
Sendo assim, tomamos como direito e dever, estar ali representando toda a nossa torcida.
Maria respondeu com emoção a todas as perguntas dos jornalistas.
Ainda surpreso deixou transparecer a frustração por ter seu trabalho interrompido.
Ao falar sobre nós, torcedores Avaianos, disse:
-  "Sou completamente apaixonado pela torcida Avaiana. Hoje essa grande nação tem mais um torcedor."

Vocês terão oportunidade através da  imprensa, de ver e sentir toda a emoção que esse homem  correto, integro e com qualificação profissional para ter um futuro brilhante. 
Ele chorou muito.

Ao final da coletiva me levantei e disse ao nosso Maria que se ele sai apaixonado por nós, eles nos deixa completamente apaixonados por ele. 
Agradeci seu trabalho no Clube em nome de todos os torcedores.
Foi realmente muito triste a despedida do nosso "soldado".
Amigos conseguimos, por sorte, burlar a segurança e com emoção falamos ao Maria com a voz do coração de todos os Avaianos.
Ave, Maria!
Boa sorte, Maria!
Obrigada por tudo, Maria.

Quando eu estiver mais "distanciada" de toda a emoção vivida, escrevo outro post.

Ouse agir, diretoria e Conselho Deliberativo


- Estou muito triste. Principalmente porque eu sei que tenho capacidade para dar o resultado, para reverter isso daí. Mas eu não posso falar muito mais do que isso porque o presidente me pediu para não me pronunciar antes da coletiva de imprensa - disse Hemerson Maria ao INfoesporte referindo-se à coletiva já marcada pelo Avaí para as 13h30 desta quarta-feira.

Essa demissão nem o mais jovem torcedor vai acreditar em qualquer justificativa que venha do Clube.
Faz tempo que eu, Kátia Maria de Paula, não acredito em mais nada que venha como nota oficial do Avaí Futebol Clube. Eles mentem, eles escondem, eles decidem sem ouvir nem ao menos os diretores e o Conselho Deliberativo. 
Alias, está na hora da diretoria Avaiana dar um basta. 
A maioria de vocês só serve pra levar "bronca" do Presidente. 
Vocês só ficam com a culpa, nada de bom é atribuído ao trabalho bem feito em muitas áreas do Clube, nem um elogio a nenhum de vocês. 
Vocês são menosprezados, usados, levam pra casa desaforos de baixo nível e continuam por aí. 
Pensam demissão em massa. 
E quanto ao Conselho Deliberativo, a hora de vocês agir já passou, o estrago está feito.
Mas ao menos chamem uma reunião pra questionar todos essas decisões tomadas por apenas duas pessoas e impeça ações e decisões ditatoriais daqui pra frente. 
O Avaí Futebol Clube tem um estatuto pra ser aprovado. Mãos a obra. 
Nosso Clube vai estar sempre aí, nós é que não vamos. 
Ouse agir, diretoria e Conselho Deliberativo.
Eu estou também muito triste, Maria.
Vamos ver quantos dos que estão dentro do Clube também estão.
Um Clube triste é um Clube vazio, sitiado, pilhado, amordaçado.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Fora ratos e quem se serviu e alimentou eles


Com seriedade e bravura precisamos reagir.
Os ratos que tomaram conta e sitiaram a Ressacada estão nos testando.
Estão nos testando a tempo.
Eles agem na escuridão dos porões e na claridade dos dias, com sorriso no rosto, culpam a nós torcedores pela falta de transparência, coerência e competência.
Demitiram o nosso Maria!
Demissão ‘anunciada’ antes do fim do estadual. Mas velada pela luminosidade espontânea que cegou os olhos grandes que já tinham, como visionários do apocalipse, entregado o estadual.
Esconderam-se nos porões, esses ratos travestidos de leões, até o dia de hoje.
Mas nos temos faro, nós temos raça, nós temos o Avaí.
O Avaí é nosso!
Só nós podemos tirar nosso Clube desse estado de sítio.
Desse hospício em que foi transformada a Ressacada.
Com seriedade e bravura, que se ergam todos os avaianos contra essa mácula que alguns, diminutos vaidosos roedores, estão querendo manchar a nossa história.
Fora Marcelinho Paulista – arroz de rato
Fora Maguila – rato escondido no porão
Fora Presidente João Nilson Zunino – que se serviu e alimentou de muitos ratos nos últimos anos.

A vaidade é nossa, Presidente


Após a conquista do título estadual o Presidente do Clube apresenta em coletiva para a imprensa, um novo gerente dizendo que ele vem para sanear, trazer novos dividendos e parceiros para o Clube;
Passa por uma situação constrangedora quando os jogadores invadem essa coletiva exigindo a permanência do gerente Carlos Arini;
Tempos depois, o presidente ouve seu novo gerente dizer nos microfones da mídia, que no Clube é somente um arroz;
Mais um tempinho depois, o arroz do presidente, anuncia um novo contratado, mas o jogador não assina com o Clube por problema jurídico;
Passa mais uns dias e novamente, esse arroz do presidente, convoca duas vezes uma coletiva para apresentar mais um contratado, e novamente ele não pode atuar pelo Clube por problemas jurídicos;
Uns dias depois, o gerente diz que chegará para assinar contrato o jogador Marquinhos Paraná. Marquinhos se apresenta no dia seguindo no América Mineiro.
Agora, esse gerente/arroz está prestes a concretizar a saída do melhor jogador do time e eis que surge do outro lado um Zinho, e a dupla ArroZinho se complica toda nessa transação.
Oras, os dois reservaZINHOs do Flamengo não aceitam vir jogar no nosso Clube.
A dupla ArroZinho, um querendo salvar o Flamengo do perigo do rebaixamento e outro deixando sair um craque pra colocar dinheiro em caixa (dinheiro que ele traria com a parceria quando foi apresentado no lugar do antigo gerente,) se vê nas mãos de dois perebinhas reservas.
Por favor, Presidente, mande chamar os jogadores avaianos de volta e demita o seu Gerente/Arroz.
Está faltando grana? (sabe lá deus porque nossos cofres estão vazios) 
Admita a falta de planejamento, peça ajuda de profissionais competentes na área de administração e gestão esportiva. 
Não chame por amiguinhos, coleguinhas de trabalho e nem parentes
Chame profissionais sérios. 
Chame por Avaianos que por um motivo o outro, pediram para sair ou se afastaram da sua gestão.
Porque se estamos sem dinheiro e com um quadro de sócios diminuindo e muito desde o inicio de 2010,  não podemos e não queremos ficar, em decorrência da sua gestão, sem o nosso orgulho e a glória que sempre pautou a nossa história.
Não dá pra esquecer o nosso belo passado.
Essa vaidade é nossa, Presidente.




São ossos do...


Uma seguidora do DNAzul no facebook digitou o comentário abaixo:

Malú Ramalho Trabalho no aeroporto, acabei de ver o cleber E o renato embarcar no voo da web-jet para o Galeão.
Agora as 9:10 da NOITE.
Senti uma tristeza tão GRANDE...

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Declarações oficiais sobre CS10


"Cléber tem contrato de empréstimo com o Avaí e tem contrato com o São Paulo por mais seis meses...A princípio não existe nada sobre transferência. Digo ao torcedor avaiano que comemore a vitória e não se preocupe. Ele vai permanecer no clube até o final do contrato", disse Júlio Rondinelli, coordenador de futebol. Globo.com no dia 09/07/202

Espero que a gente voltando pra Série A eu possa ficar aqui mais anos. Gosto daqui. Gosto do carinho da torcida, do clube. Estou feliz, minha família está feliz, meus filhos estão feliz na escola. Eu estou feliz aqui no Avaí, essa é a pura verdade. Eu prometi e vou cumprir: até o final do ano estou aqui — Diz o xodó da torcida da Azurra. Globo.com no dia 5/08/2012

Fiquei muito chateado com essa pressão que estão fazendo. Tem coisas que o dinheiro não resolve. Sei que o Palmeiras queria fazer uma proposta para levar o Cleber, mas não vão levar. Ele tem contrato conosco e, pelo caráter e personalidade dele, sei que vai cumprir — afirmou Zunino, presidente do Clube. Diário Catarinense dia 11/08/2012

Recebi o Zinho, que foi um grande atleta e que assistiu a partida do meu lado. Muito respeitoso, como ele é, não houve nenhuma conversa em relação ao Cleber Santana. Não vou dizer que não existam jogadores do Avaí que interessam ao Flamengo, mas não houve isso. Até porque nós contamos muito com o Cléber no Avaí — fala Zunino, presidente do Clube. Globo Esporte no dia 09/08/2012

Cleber Santana cumpre seu contrato até 31 de dezembro com o Avaí. É claro, ele ainda tem a possibilidade de continuar no ano que vem, mas é algo futuro. Todas as especulações foram informais, nada disso mudou o que o presidente fez no começo: ele não foi contratado não só para o Catarinense, mas sim para o ano inteiro e tentar o acesso à Série A. O Cleber, é claro, entendeu as possibilidades que se abriram pra ele, ele não pode se fechar pro mercado. Em alguns momentos pesa o lado financeiro, existem outras propostas maiores. Ele sentou comigo e com o presidente e conversou sobre isso. O Cleber é um cara esclarecido, sabe que tem um projeto para ele aqui no Avaí. Ele segue conosco, motivado e focado no nosso objetivo que é o acesso à Série A. — finalizou o gerente Marcelinho Paulista, gerente de futebol. Diário Catarinense 13/08/2012

Vão conseguir?

Treino dessa tarde. Foto: Alceu Atherino

Cambada

Confirmaram a saída do nosso CS10?
Se o Avaí anunciar oficialmente é a treva. Fim dos tempos.
Vontade de dizer um palavrão do tamanho do futebol do Cléber Santana.
#@#V#*T+##C !!!!!!!!
Cambada de incompetentes.

E agora, Maria?




Será que o Maria está conseguindo dormir?
Perdeu a zaga titular (Leandro e Renato machucados) e nenhum dos atacantes (Capixaba, Nunes, Laércio, Felipe, Acosta e Jesus) faz gols;
(Xô, urubus!)
O prato até o final do ano na Ressacada é arroz insosso;
e  caixa do clube está sem 'sal'.
Te vira na cama e no campo, Maria.

sábado, 15 de setembro de 2012

O torcedor e os outros


Desde pequenos aprendemos que no jogo não se vence sempre.
Por isso o esporte ultrapassa os limites da atividade física, ele nos ensina que a derrota existe. 
Que existe alguém que pode nos vencer.
Vou tentar me aprofundar nas questões éticas e morais que um jogo pode dar a nós humanos.
(Mesmo sendo somente uma torcedora e assim, correr o risco de torcer o que não pode e  não deve ser torcido).
As pessoas com um QI normal sabem que não se vence sempre.
Nem por isso o futebol, o jogo com os resultados mais injusto e menos previsível que qualquer outro jogo, deixa de arregimentar torcedores. 
O futebol é mágico e apaixonante justamente por isso.
Em campo ele pode ser assim.

Quando a imprevisibilidade futebolística ultrapassa os limites do gramado o torcedor, que torce e distorce, se contorce no recolhimento e é vencido.
Vencido não pelo adversário, mas por outros.
Outros que não torcem.
Os que determinam quanto vale um torcedor;
Quanto vale um jogador;
Quanto vale uma parceria;
Quanto vale um ingresso;
Quanto vale uma camisa.

Todos nós sabemos que perder faz parte do jogo. Eu já disse isso.
Voltamos sempre ás arquibancadas na esperança de ludibriar o fanfarão e imprevisível deus do futebol.
Vencer quando se joga mal ou vencer com um gol ilegal; se do nosso time enganamos o fanfarrão, se for contra nós, o fanfarrão nos amaldiçoou.
Nunca sabemos que camisa Ele está vestindo quando o jogo começa.
Não tentem nos culpar de nada.
É heresia colocar em cima da torcida a culpa por derrotas ou estádios vazios.
O torcedor tem ligação direta, sempre e somente, com seu deus fanfarão; sua cega paixão e o estádio lotado.

Mas o mundo anda tão conectado que a tudo se sabe em milionésimos de segundos  e o torcedor se vê maculado muitas vezes em apenas 140 caracteres.
Tudo ele sabe.
Escancarada está em rede mundial sua antes imaculada e cega paixão.

Limpa a casa, Avaí! 
Quem sabe ludibriar o fanfarrão deus do futebol é somente o torcedor.
Esse deus sabe que nós adoramos pagar o ingresso.
E estamos contado a Ele, todos os dias, porque as arquibancadas estão vazias.

América 1 x 0 Arroz FC


O que nós Avaianos podemos escrever sobre esse jogo?
Qual seria o título para mais uma derrota onde as chances de gols foram diversas e diversos foram os gols perdidos?
Crônica de uma derrota anunciada.
Não só pelos atacantes que estão na Ressacada, mas muito também pelo amadorismo do nosso Clube.
Renato Santos negociando seu passe com outro Clube vai á campo, erra como nunca, entrega o gol para o adversário e na sequencia sai “machucado”.
Maria já tentou todos os atacantes. Todos.
Eles não fazem gols.
E não me venha dizer que falta armação de jogadas.
Elas estão existindo sim, mas não estão sendo aproveitadas.
Só a quantidade de escanteios em todos os jogos é enorme, mas nenhum é convertido em gol.
Falta mesmo é o Maria entrar em campo e colocar a bola pra dentro.
O resto ele já tentou.
E vai morrer tentando. 
Porque o Arroz só trouxe mais arroz. 
Nenhum jogador que Maria possa servir como prato principal.
E o Miguel Livramento manda perguntar ao Maria por que ele  insiste com esses atacantes.
Porque é esses que ele tem, ixtepô!



sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Me poupe, acompanhante!



- "Estamos conversando e vendo alguns detalhes que não são em relação a valor, mas ao percentual. Está bem adiantado, mas gosto de falar quando as coisas são oficiais para não ficar na especulação. Se tudo ocorrer bem até segunda deveremos ter uma definição" - explicou ao LNET! Marcelinho Paulista, diretor de futebol do Avaí sobre negociação de venda do zagueiro Renato Santos para o Flamengo.

Só se for na hora de vender, porque na hora de "comprar" ele anunciou jogadores que não puderam ser oficializados pelo nosso Clube. Dois porque juridicamente estavam impedidos e vários, porque pediram muito ou nem foram contactados. 
Como é fácil deixar sair os nossos titulares. Isso sim, é oficial. 
Dá nisso, deixar "acompanhantes" comandando e mandando no Clube.
Arroz e Maguila.
Bela dupla oficiosa!

Aproveita, Maria!

Moretto será o nosso camisa 1


Jogo em Minas contra o América.
Ainda não temos a confirmação se Cléber Santana estará em campo.
O nosso craque viajou com a delegação e está fazendo tratamento intensivo para se recuperar da lesão.  Fico na torcida para que ele possa estar vestindo a camisa dez. 
Afinal, o cara tem sido o maestro de uma banda não muito afinada. E tem se saído muito bem.
Renato Santos com proposta real do Flamengo, precisa se desligar de tudo e se concentrar na partida. Necessitamos e muito da sua lucidez.
Moretto será o nosso camisa um.
Acosta deve voltar ao ataque.
E Maria que se vire com o que tem e aproveite, porque daqui a pouco pode não ter mais o pouco que tem hoje. 
Imagina se o zagueiro titular desde o estadual for negociado.
Já perdemos Leandro Silva por lesão. Se Renato sair, lá se foi nossa zaga titular.
Quanto a mera possibilidade da saída do Cléber... Não quero nem imaginar. 

Que o nosso ataque faça gols, uai!


quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Urubu e quero-quero


Tem muito urubu sobrevoando a Ressacada, não são só os 'quero-$-quero'.
Li no Globo Esporte  que o Flamengo está negociando o volante Renato Santos e  tem interesse também em Cléber Santana.
Vão levar?
Renato Santos está com a negociação adiantada, segundo o site da Globo.
E o nosso CS10?
Se for verdade a declaração do nosso Presidente na mesma reportagem, o urubu está mesmo em cima da carniça e o 'quero-$-quero' vai entregar.
- “Quem no Brasil hoje não gosta de ver o Cléber Santana jogar? O Zinho é um amigo de longa data e é sempre muito elegante e gentil comigo. É claro que eu autorizo uma negociação, com o time certo” – afirmou João Zunino.

Não posso acreditar que o nosso presidente afirmou o que está escrito sobre autorizar a saída do Cléber Santana. E que vai deixar o Renato Santos sair.
Só pode ser complô da imprensa para nos desestabilizar. 
Afinal, nosso Clube está super estabilizado, tanto internamente quanto no campeonato. 
Não é mesmo, galera????
Mas se for verdade, o urubu é o quero-quero e o quero-quero, é o urubu.
Ou quem sabe esteja surgindo uma nova espécie, o 'urubu-quero-quero'.
Que tristeza quando já não se sabe em quem acreditar, ou quem é quem.
Quero-quero que seja tudo um complô, Papai do céu!!!!

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Amadorismo vaidoso




Não se acerta sempre.
Ainda mais quando se é um técnico de futebol.
Mas querer cobrar do Maria um melhor desempenho do elenco avaiano, só pode ser coisa orquestrada.
O cara venceu o estadual com o que tinha;
encarou uma crise jamais vista em nenhum Clube do mundo, quando TODOS os jogadores invadiram uma coletiva onde o presidente apresentava um novo gerente de futebol;
com a vinda do novo gerente, não recebeu nenhum jogador que tenha até hoje, se firmado como titular;
tem quinhentos atacantes e nenhum faz gol;
e quando precisa mexer são os caras que já estavam aqui no estadual que precisam mudar ou mesmo decidir a partida.

Maria, como técnico tem muito, mas muito mais acertos que erros.
Só em tem ter conseguido manter o grupo focado mesmo depois da demissão do gerente que eles queriam na Ressacada, já merece um prêmio.
Mas tem gente que insiste em culpar o técnico e alguns ainda tem a cara de pau de dizer que a culpa é da torcida.
Ora, pelo amor de Deus, a invasão na coletiva a imprensa no final do estadual (repito, nunca houve em Clube algum uma manifestação pública de jogadores como aquela), é a cara da atual presidência e gerência do Clube, um 'Amadorismo Vaidoso'.
E tem comentarista com a mesma cara também.
Amador vaidoso é um terror,  tão destruidor quanto uma arma nuclear.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

CS10 2 x 1 Ipatinga

Foto: Flávio Neves / Agencia RBS



E a bola disse:
- Que jogo chato. Vou cair aos pés do craque!
Cléber Santana.
Só poderia ter sido ele o escolhido para marcar um lindo gol nesse feio jogo.
A bola indignada, a bola desesperada pelo último jogo e por esse de hoje, não aguentou.
Ela resolveu decidir por si só.
Ela não suportou o péssimo futebol jogado por Avaí e Ipatinga.
Mas ela cobra também.
E o Ipatinga empatou.
A pequena e fiel torcida sentiu.
Maria mexeu.
E um pequeno mais decisivo jogador, no  jogo de hoje, apareceu como um gigante na área adversária. 
Arlan sofreu o pênalti.
E a ‘isibida’ bola se posicionou na marca branca sobre a verde grama.

Foto: Jamira Furlani

E esperou implorando:
- Que seja ele!
E o camisa dez a tocou, novamente, com maestria.
Cléber Santana colocou seus pés na desejada e temperamental gorduchinha mais uma vez.
Gol do Avaí.

Foto: Jamira Furlani

Vencemos!
Vencemos porque tínhamos em campo o escolhido, o craque.
Que sua lesão não se prolongue.
Ela ama somente ele!


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Os sons de 2008




Esse som da chuva deixa impossível, para o  meu coração, não lembrar os jogos de 2008.
Som que traz de volta a batida de todos os corações Avaianos.
As partidas épicas na Ressacada.
Os gols encantados.
O jogador iluminado.
O goleador esfomeado.
O zagueiro artilheiro.
O inimitável lateral Jeff Silva.
O nosso M10.
Cada detalhe, cada jogador, cada torcedor era um eco dos acordes do nosso hino.
Inclusive ela, a chuva.
Som da chuva, som da bola na rede, do passe bem executado, som da torcida.
Tem jogo do Leão nessa terça, pode ser com chuva... 
Que saudade de tudo e de todos acima.
Principalmente do som da nossa torcida.
- "Vamos subir Leão, Vamos subir Leão!!!!!"

E se o 'se' jogar?



Amanhã lá vamos nós pra Ressacada.
Nós os mil e quinhentos, provavelmente.
Como eu gostaria de ver o nosso Avaí engrenando 3 vitórias consecutivas.
Se conheço bem o espírito que rege o nosso time, elas seriam uma alavanca para o sprint final.
Tanto para o time quanto para o torcedor.
Desenganos, abandono e decepções seriam colocados de lado e a Ressacada voltaria a se vestir de azul.
Difícil, mas não impossível.
Se ao menos um dos nossos atacantes comece a achar o caminho do gol, a bola bem colocada no contra pé do goleiro; a cabeçada certeira que faz a rede balançar; o chute de longe que estufa a rede.
Se ao menos um dos nossos atacantes se tornasse goleador...
Mas o 'se' não joga, e temos jogo amanhã.
Alguém no campo de jogo poderia se transformar nos meus 'ses' e acertar daqui pra frente o gol.
Ser o 'se'.
Muitas e muitas vezes.
Como seria bom!

domingo, 9 de setembro de 2012

Tirania & Medo

Esperava muito da entrevista do nosso Presidente no Bate Bola da TVCom nesse domingo 09 de setembro.
Com tudo que aconteceu e vem acontecendo no Avaí: saída da L.A; a venda e dispensa de jogadores; a queda para a segundona; a perda de receita e sócios; a Ressacada vazia; a demissão do Arini após a conquista do estadual; parceria que viria e até hoje não veio e que exigiu a vinda do Marcelinho Paulista; jogadores empresariados por Gabriel; aprovação do novo estatuto do Clube; as contratações anunciadas que não se concretizaram por erros gerenciais e jurídicos e etc... esperava eu ansiosa as perguntas dos jornalistas e a palavra presidencial.
Pois não é que as únicas novidades que descobri durante o programa é que o Avaí tentou trazer o Riquelme e que existe uma possibilidade de parceria com uma empresa para construir a famosa arena?
Vi também o ‘piti’ desnecessário e intempestivo que ele (nosso presidente) deu no cartunista Zé da Silva.
Não me surpreendeu!
Esclarecedor, não é mesmo?
Tirania & Medo. 
Eis um casal assustador. Se a gente deixar eles procriarem sabe que tipo de filho eles geram?
Eu sei.
A Mentira!

sábado, 8 de setembro de 2012

Parceria, confidencialidade e fantasmas


Quando da demissão do Gerente de Futebol Carlos Arini e a apresentação do Marcelinho Paulista, a justificativa foi que haveria uma parceria e que essa parceria estava exigindo a troca.  Isso aconteceu no final do Catarinense. Na última entrevista do Presidente do Avaí ao DC no dia 10/08/12 (mês passado), o mesmo respondeu a duas perguntas que reproduzo abaixo:

DC _ Na sua avaliação, o Avaí hoje está pronto para retornar à Série A?

Zunino _ Quando formamos a equipe para disputar o Estadual deste ano, a intenção era ser campeão estadual e subir para a Série A. Isso porque havia internamente uma expectativa de receita que depois ficou longe do que precisava ter. Isso assustou a direção. Então, a duras penas, conseguimos fazer um time competitivo. Começamos mal e, de repente, mudamos o treinador _ saiu Mauro Ovelha e assumiu Hemerson Maria, que estava na base do clube _ e houve uma virada. O problema é que, no meio do caminho, fui obrigado a fazer uma mudança e tirar o gerente de futebol Carlito Arini. Não fiz isso pela sua competência e falei para ele dois meses antes. O Carlito nos ajudou a ser campeão estadual, foi um dos grandes responsáveis, mas precisamos mudar e mudamos. Foi uma imposição que veio de fora. Não quero entrar no mérito dessa questão, mas aceitei a condição. O Carlito ficou bastante chateado, mas levou até o fim de forma muito profissional. Ela sabia que o principal ali era o Avaí.

DC _ Recentemente, o senhor comentou que poderia revelar no mês de agosto os nomes dos investidores estrangeiros que negociam uma parceria com o Avaí. Já é possível falar?

Zunino _ Eu ainda não tenho condições de dizer por uma questão jurídica. Só posso dizer que eles estão cada vez mais perto de nós.

Nota da blogueira
Estamos em setembro e nada de parceria e um gerente que não conhece o mercado no comando, por imposição sabe lá de quem.
O parceiro ‘impositivo’ se está perto de nós, deve ser fantasma. Porque até agora ninguém viu. 
Mas o trabalho do Marcelinho a gente vê a cada jogo.  
E não podemos reclamar nem vaiar, nem criticar nada do nosso Clube.
Quem manda em 2010 lotar a Ressacada pra salvar o time, e no ano passado ter feito Treino dos Mil e ir ao Aeroporto por duas vezes pra incentivar a equipe do Toninho Cecílio?
Tem tanto fantasma nessa parceria do Avaí e também vestindo a nossa camisa nesse elenco atual, que esse ano as arquibancadas da Ressacada estão repletas deles também. É que nos torcedores também temos as nossas cláusulas de confidencialidade.

Nem Jesus salva!


Quando será que os nossos atacantes vão fazer um gol, um golzinho?
Chega a ser chato, desgastante, irritante escrever sobre o quanto o nosso time perde gols.
O quanto nosso técnico já tentou, nesse campeonato, achar um atacante que saiba chutar a bola fora do alcance do goleiro.
Estamos fazendo o “nome” dos goleiros que jogam contra nós.
Porque quando conseguimos não errar o chute ou a cabeçada, chutamos ou cabeceamos exatamente onde o goleiro adversário está.
Quando será que vamos fazer um gol de escanteio?

Os deuses do futebol quando não punem times, com a quantidade de chance que se apresentou como hoje para nós, com uma bola desviada ou mesmo um gol contra, sopram no ouvido do árbitro e ele sopra o apito marcando pênalti inexistente.
Mas é claro que não perdemos o jogo por isso. 
Perdemos porque não fizemos novamente, outra vez, um gol.
E porque quando Wagner Diniz começou a crescer no jogo, o técnico joinvilense colocou um atacante caindo por ali e nos neutralizou.
E porque quando o nosso técnico resolveu mudar os atacantes para ver se os do banco acertavam o gol adversário, ele chamou Nunes e depois Felipe Alves.
E porque... Credo tem tantos por quês que esse post se tornaria uma bíblia.

É no futebol pra ganhar precisa ter competência e ás vezes está tão fácil, que é só acertar os fundamentos primários pra fazer a rede balançar.
Seis pontos entregues ao JEC.

Pirão deu conta do recado. Protegeu a avenida 'Inoperante Julinho'; roubou bolas; matou contra ataques e ainda saiu jogando muitas vezes com qualidade. Coisa que Diogo Orlando não sabe fazer.




Raça e transpiração




Jogo em Joinville é para os fortes.
Hoje não tem essa de quem está melhor na tabela ou quem tem elenco mais qualificado.
Hoje é jogo para vencer na raça, na vontade e na disciplina tática.
Que o nosso técnico consiga, mais uma vez, fazer o Leão urrar e colocar água no chopp alemão.
Suor muito suor.
A pele dos nossos, ao apito final, necessariamente precisa estar pintada de azul.
E o gramado da arena molhado pela nossas pegadas.
Vamos precisar transpirar a raça singular do nosso DNA.
Alle blau!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Vitória ou Morte!




- “Independência ou morte!”
Conta a nossa história que bradou o Príncipe Regente do Brasil D. Pedro as margens do riacho Ipiranga.
Nós acreditamos e nessa sexta, estamos comemorando a independência do Brasil.
Eis a conquista.

- “Vitória ou morte!”
Vai bradar a torcida avaiana sábado na arena Joinville.
Precisamos dessa conquista.
E também vamos precisar de um regente.
Que um dos nossos desembainhe a espada acima de todas as cabeças e conduza os demais, que trazem no peito o mesmo escudo, pra cima do 'inimigo'.
Ou bradamos nosso grito nesse sábado como o fez D. Pedro, ou permaneceremos na dependência, mais um ano, do distante Príncipe Regente de Portugal, Dom João.

Pra quem não sabe, ou já esqueceu:
Conta á história que João o príncipe do Brasil (destituído em sete de setembro de 1822 por um grito de seu filho), tornou-se príncipe Regente de Portugal porque Maria (sua mãe) enlouqueceu.

Essa história Portugal/Brasil fez 'côsa'.
E esse Avai faz côsa!


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Hemerson e seus "acompanhantes"


Acho que não me fiz entender no post de ontem sobre o jogo.
Sou fã do Hemerson, sempre fui.
Seu trabalho no Avaí é de quem conhece o riscado.
Ontem fiz algumas críticas sobre a escalação e as substituições, mas não o culpo pela posição do Avaí na tabela. Pela dificuldade de se aproximar e mesmo entrar no G4.
Quando disse que nosso técnico se transformou em 'Arroz', é porque ele é obrigado a acompanhar o 'original'. Porque o 'original' não está contratando jogadores que possam entrar no time e render. 
Render a ponto de nos levar de volta a série A.
Hemerson não faz milagre.
Ele trabalha com o “material” que tem nas mãos.
E o que de melhor ele tem nas mãos, são jogadores que estavam no elenco antes de Marcelinho Paulista chegar.
Mesmo com o título estadual todos nós alertamos que o elenco precisava ser qualificado.
Hemerson não recebeu jogadores que saibam jogar a série B.
Hemerson acompanha obrigatoriamente o acompanhante Marcelinho Paulista.
Ele não tem outra escolha.
Quem escolheu mal foi quem trouxe o gerente atual.

Quanto ao futebol do Julinho, quem o viu jogar na primeira passagem pelo Avaí, sabe porque cobro tanto dele. 
Quanto a Diogo Orlando, é um ótimo reserva. Jogador comprometido e que não se esconde do jogo. Mas seu futebol não vai nos levar a série A. 
Hemerson não tem culpa disso. Ele tem Orlando ou Thiesen. Todos os dois rendem apenas o que sempre renderam. Não vão passar disso. São "acompanhantes", também.